20/08
Aves

Minerais quelatados e sua aplicação na nutrição de aves - por Javer Alves Vieira Filho.

Por Javer Alves Vieira Filho – Especialista em Nutrição de Aves – Vaccinar

Podemos, como forma conceitual, estabelecer a seguinte definição para minerais quelatados: são íons metálicos ligados quimicamente a uma molécula orgânica, formando estruturas com características únicas de estabilidade e de alta biodisponibilidade. Esses minerais são conceituados no mercado como minerais orgânicos, porque o elemento mineral se encontra complexado ou associado a moléculas orgânicas.

Tradicionalmente, os minerais são oferecidos em sua forma inorgânica em razão do seu baixo custo. As fontes quelatadas, entretanto, devido a suas altas biodisponibilidades e conceitos, vêm propiciando eficiência produtiva, qualidade da progênie, diminuindo contaminantes da ração e reduções das excreções minerais ao meio ambiente.

Nesse contexto, outras vantagens podem ser descritas em relação aos quelatados:

  • A estrutura protege o mineral das reações químicas indesejáveis no trato gastrointestinal;
  • Minerais quelatados passam facilmente através da parede intestinal para a corrente sanguínea;
  • A absorção passiva é aumentada ao reduzir a interação entre minerais e outros nutrientes;
  • O quelatado é oferecido ao animal, da mesma forma que é encontrado no corpo;
  • Os minerais quelatados são absorvidos através de vias diferentes da dos minerais inorgânicos;
  • Cada mineral do quelato facilita a absorção de outros minerais do complexo.

Dentre as principais fontes de minerais quelatados considerados para nutrição de aves, ressaltam-se o manganês, o zinco e o cobre, por serem responsáveis por diversos processos bioquímicos importantes na formação do embrião. Além disso, é possível considerar também o selênio, antioxidante importante nos processos de armazenagens dos ovos e na incubação.

Normalmente, a substituição das fontes minerais inorgânicas pelas quelatadas é feita de forma parcial, sendo que o percentual de ocorrência está entre 30% a 40%. A seguir, os principais minerais quelatados e a sua importância para as aves são relacionados:

Manganês:

Encontrado amplamente, está distribuído ao longo do corpo. Quantidades importantes são encontradas nos músculos, ossos, pele e, principalmente, no fígado. No organismo das aves a fonte mais rica em manganês é o osso, seguido pelo fígado. O manganês participa da ativação de várias enzimas, pela fosforilação oxidativa na mitocôndria, por processos de síntese de ácidos graxos, da matriz orgânica da casca do ovo, da matriz óssea e manutenção do processo reprodutivo das aves. O manganês é responsável direto pela enzima polimerase, importante na produção da matriz da casca. A deficiência desse mineral produz cascas mais finas e fracas e com maiores áreas translúcidas. A forma quelatada do mineral traz benefícios à qualidade da casca, além de afetar positivamente a progênie, aumentando o rendimento de partes nobres, em comparação a dietas que contenham o mineral apenas na forma inorgânica.

Zinco:

Dentre várias funções, destacam-se a síntese e a degradação de carboidratos, lipídeos, e proteínas, além de papel importante no funcionamento adequado do sistema imunológico. É relevante também na ativação de vários sistemas enzimáticos e sínteses hormonais. Nas aves, é responsável pela fixação do cálcio sob a forma de carbonato de cálcio nos ossos, representando importante fator na qualidade da casca do ovo, através da atividade da anidrase carbônica, controlando a transferência de íons bicarbonato do sangue para a glândula da casca. Dietas contendo esse mineral quelatado demostram melhora da qualidade da casca comparadas às dietas com o mineral na forma inorgânica.

Cobre:

Possui importante papel na formação dos ossos e especialmente das cartilagens, responsável também por processos enzimáticos, reações imunitárias, síntese de colágeno, pigmentação da pele, tecido cognitivo, reprodução e crescimento. Distribuído em todo o organismo em pequenas quantidades, o cobre fica armazenado no fígado e no sangue ligado a frações de albumina.  A utilização de dietas deficientes em cobre pode comprometer a formação da casca do ovo e aumentar a incidência de ovos sem casca.

Selênio:

Responsável pela composição de várias selenoproteínas, sendo a mais importante a glutationa peroxidase, tendo como função remover os peróxidos gerados pelos radicais livres e outras substâncias derivadas do oxigênio. Com isso, temos uma importante defesa para manutenção da integridade da membrana celular. É importante salientar que todas essas funções antioxidativas são dependentes da interação com a vitamina E. A substituição parcial pelo selênio quelatado tem mostrado eficiência no aumento da concentração do selênio dentro do ovo, o que propicia melhores tempos de estoque e consequentemente a manutenção da eclosão.

As dietas com suplementação de minerais quelatados têm como intuito atender, de forma eficiente, às recomendações reprodutivas dos lotes e transferir os efeitos positivos sobre a qualidade da progênie. A substituição parcial demostra que há melhoras na qualidade da casca do ovo, produtividade, aspectos reprodutivos das fêmeas e machos, assim como, a qualidade da progênie e melhor rendimento de partes nobres.